segunda-feira, 6 de julho de 2020

Home office com Coronavírus não é home office

Por causa da pandemia do novo Coronavírus, muitas empresas foram obrigadas a fechar seus escritórios e colocar seus funcionários em regime de home office sem planejamento prévio.

Embora o home office não seja novidade para muita gente, ele ainda assusta muitas empresas e gestores, acostumados com gerenciar suas equipes de perto. Também representa uma uma mudança radical de hábitos de trabalho para os profissionais.

Bem ou mal, essa mudança repentina, emergencial, está trazendo vários pontos positivos:
  • Trouxe a discussão dos benefícios e dificuldades do home office, amadurecentdo essa forma de trabalho;
  • Forçou as empresas mais reticentes a aceitarem, ou pelo menos, testarem o modelo de home office;
  • Permitiu aos gestores se adaptarem ao modelo de home office e aprender novas habilidades de gestão de equipes;
  • Deu oportunidade aos empregados exercerem esse modelo.

O resultado, ao meu ver, é que muitas empresas e funcionários estão valorizando os benefícios do trabalho remoto, que incluem melhor qualidade de vida para os funcionários e, em geral, maior produtividade para todos (além de vários outros benefícios).

É importante lembrar que o regime de teletrabalho que vivemos hoje em dia, durante a pandemia, é totalmente diferente do cenário tradicional do home office. O trabalho remoto antes da pandemia era mais tranquilo e mais facilmente adaptado a nossa rotina. Esse regime de "home office mandatório" trouxe alguns problemas e conflitos, tais como:
  • Como o home office foi instituído a força e repentinamente, não houve oportunidade para os profissionais e empresas se prepararem adequadamente, em termos de processos, treinamento / conscientização e também de adaptação com as tecnologias envolvidas;
  • Vimos relatos que algumas empresas de telefonia tiveram problemas de manter a qualidade da banda larga, devido ao grande aumento de acessos;
  • Os funcionários não tiveram oportunidade de adaptar as suas casas para trabalhar remotamente. Isso inclui, principalmente, o investimento em mobiliário e equipamentos necessários para adaptar um espaço de sua casa para o trabalho remoto. Acredite, trabalhar sentado no sofá é divertido na primeira meia hora. Na metade do dia você já está com dores no corpo, descadeirado. É importantíssimo ter móveis próprios para o trabalho em casa, como uma mesa e cadeira de qualidade, espaço com a ergonomia adequada, etc. Mas, para piorar, muitas lojas de imóveis estão fechadas;
  • As pessoas também foram obrigadas a adaptar as suas rotinas domésticas, principalmente para quem vive em casa com outros familiares. É comum encontrar cenários aonde vários membros da família tem que adequar suas necessidades de estudo e trabalho remoto, e as vezes não é possível compartilhar o mesmo espaço. Assim, enquanto o marido faz uma vídeo conferência no escritório, a esposa participa de uma reunião virtual na sala e o folho estuda, online, em seu quarto;
  • Também surgiu o desafio de manter o convívio, em quarentena, com filhos e cônjuge na mesma casa, ainda mais no horário de expediente. As crianças, mesmo com opção de estudo remoto, precisam do acompanhamento de um adulto, e por isso, acabam impactando no trabalho. Normalmente, enquanto o marido ou esposa trabalhava remotamente, o outro cônjuge permanecia no trabalho tradicional, no escritório da empresa, enquanto os filhos estavam na escola durante o dia;
  • Também há a pressão psicológica do confinamento e do stress causado pela pandemia.


A consequência é que, mesmo reconhecendo os benefícios do home office, para muitas famílias aquele suposto equilíbrio da vida pessoal com a profissionais se tornou um pesadelo, causado por esse convívio familiar forçado, em regime de quarentena. O grande desafio é manter as pessoas motivadas e produtivas, trabalhando em casa durante esse tempo de crise - pior ainda, com essa crise prometendo ser bem prolongada.

O lado bom é que nós estamos nos tornando mais empáticos e aceitando melhor a dificuldade dos demais colegas em regime de home office. Antes da pandemia, se uma criança interrompesse uma vídeo chamada, ou se ouvíssemos ao fundo o barulho de um cachorro, isso era considerado má educação ou falta de profissionalismo. Hoje todos se identificam com a situação do colega, e acabam aproveitando a oportunidade para descontrair.

Eu já vi algumas empresas se esforçando para apoiar os funcionários;arios no trabalho remoto, oferecendo orientações, dicas, e até mesmo o empréstimo de equipamentos e móveis. Também já vi empresas que estão oferecendo suporte psicológico para os colaboradores. Cabe também, aos gestores, a responsabilidade por identificar colaboradores que estejam em dificuldade de se adaptar ao regime de trabalho remoto e buscar formas de apoiá-los.

Eu acredito que esse período atual de pandemia e de quarentena forçada vão trazer mudanças importantes no ambiente de trabalho pós-pandemia. Ao questionarmos a necessidade de presença física nos escritórios, estaremos abrindo as portas para um cenário aonde o trabalho remoto será considerado naturalmente pelas empresas.

Isso significará menor necessidade de espaço físico para os escritórios e, por outro lado, maior espaço físico em casa, o que vai impactar o mercado mobiliário para escritórios e residências. As empresas podem optar, por exemplo, por um regime de trabalho aonde seus funcionários fiquem metade do tempo em casa e a outra metade no escritório - em uma conta de padeiro, significa que ela pode desocupar metade do espaço atual de escritório, causando economias milionárias. Esse novo ambiente de trabalho também vai permitir que empresas possam buscar locais mais baratos para estabelecer suas sedes ou filiais, pois não precisarão de um local para centralizar todos os seus funcionários. Por exemplo, uma determinada empresa pode trocar sua sede atual por uma bem menor, em uma região próxima e mais barata, além de construir pequenos pólos regionais, descentralizando a sua operação em busca de maior eficiência e economia de infra-estrutura. Também vamos abrir a oportunidade para a contratação de profissionais localizados em qualquer região do país, inclusive, ajudando a diminuir a grande concentração econômica em pequenos pólos, que é um cenário crônico no Brasil.

Para saber mais:


terça-feira, 30 de junho de 2020

Ergonomia em casa

É muitíssimo importante que o espaço de trabalho em casa tenha o conforto necessário, permitindo que você fique trabalhando por algumas horas seguidas, sem prejudicar a sua saúde.


Por isso, eu juntei algumas dicas de ergonomia, para o seu espaço em casa:

Espaço adequado
  • Antes de mais nada, é importante ter um espaço dedicado e preparado para o trabalho a partir de casa, com móveis adequados;
  • Escolha um local de sua casa que seja iluminado e arejado;
  • Não trabalhe no sofá. Pode parecer confortável, a primeira vista, mas em poucas horas você vai sentir dores em partes do corpo que nem lembrava que elas existem;
  • Em situações normais, jamais trabalhe da cama. Ela também não é tão confortável quanto parece, a primeira vista;
Mesa
  • O ideal é ter uma mesa própria para escritório, mas caso não tenha, a próxima melhor escolha é a mesa da cozinha ou mesa de jantar;
  • É importante que a mesa tenha uma altura confortável e ofereça o espaço que você necessita para realizar o trabalho;
Cadeira
  • Utilize uma cadeira confortável, preferencialmente apropriada para escritório;
  • Sente-se o mais perto possível do encosto;
  • Prefira cadeiras ajustáveis, com apoios para braços, lombar e cabeça;
  • O encosto da cadeira deve ser ajustado para que suas costas fiquem quase que na vertical, mantendo sua coluna ereta;
  • Atenção especial para altura do assento e dos apoios de braços;
  • Caso você só tenha disponível a cadeira de sala de jantar, tente utilizar um travesseiro ou almofada como apoio para a lombar ou para elevar sua altura;
Iluminação
  • Procure ambientes neutros, com boa iluminação e, se possível, com luz solar parte do dia;
  • Evite sentar de costas para a janela, pois o reflexo na sua tela irá atrapalhar a visão. Se esse for o único lugar disponível, posicione o seu monitor perpendicular a janela;
  • Prefira luzes brancas;
  • Ajuste o brilho do monitor de forma adequada a iluminação do ambiente e a distância dos seus olhos;
  • Tenha uma luminária de mesa, para reforçar a iluminação quando for necessário.

Veja esse artigo (em inglês): 9 ways to turn your desk into the ideal workspace

quarta-feira, 10 de junho de 2020

Dicas para um Home Office mais produtivo

O portal de notícias 6 Minutos publicou há pouco tempo atrás uma pequena reportagem com dicas para manter um ritmo de trabalho produtivo quando estiver trabalhando de casa.

Veja as dicas do artigo para termos um regime de trabalho em home office mais produtivo:
  • Não trabalhe de pijama: Embora seja uma prática frequente, e que pareça ser confortável, trabalhar de pijama condiciona o cérebro a diminuir o ritmo das atividades. O mais indicado é seguir uma rotina parecida com o trabalho presencial, e isso inclui vestir roupas específicas para o trabalho, mas que podem (e devem) ser roupas leves e confortáveis. Fique atento quando fizer reuniões virtuais, e use uma roupa adequada nessas ocasiões;
  • Cumpra seu horário de trabalho: Mesmo estando em casa, esforce-se por seguir uma rotina de trabalho, com horários estabelecidos de início, pausa e término. Por exemplo, se você tinha o hábito de chegar no escritório as 10h, você pode manter esse horário para início do trabalho remoto. Ficar em casa abre portas para inúmeras distrações, sejam com a família, com os animais ou com demais questões pessoais. Também é comum as pessoas seguirem trabalhando até tarde da noite. É importante delimitar um horário de trabalho e segui-lo corretamente para evitar queda de produtividade e acúmulo de tarefas, além de garantir a sua qualidade de vida. Para funcionar, o home office exige disciplina e organização, caso contrário, é fácil perder prazos;
  • Escolha um ambiente calmo e evite distrações: Evitar barulho excessivo e muitas distrações é um dos pontos centrais para conseguir manter a produtividade durante o trabalho remoto. O mais indicado é escolher um ambiente que remeta ao local de trabalho da empresa, que seja confortável, bem iluminado e silencioso;
  • Alinhe as expectativas e procedimentos com a empresa:  O primeiro passo para o alinhamento de expectativas é a confiança entre a empresa e o gestor nas suas equipes e colaboradores. O empregador precisa orientar se é preciso estar conectado o tempo todo,  estabelecer rituais de alinhamento entre as equipes (reuniões e conversas periódicas), horários de trabalho e explicar em quais dias os profissionais poderão fazer uso do benefício, entre outros. Já o profissional deve ser claro quanto às suas responsabilidades e cumprir com os acordos firmados, caso contrário, perderá credibilidade perante seus gestores;
  • Crie uma agenda e compartilhe com a equipe: A agenda compartilhada é uma ferramenta importante para o controle de atividades que foram ou devem ser realizadas pelo time, e para ajudar no acompanhamento dos resultados. Além de orientar a equipe, também pode ser útil para evitar interrupções durante o expediente, que desconcentram os profissionais. Basta adicionar um status de disponibilidade e indicar os momentos em que estará indisponível (por exemplo, por causa de reuniões, intervalos em que precisa focar em uma tarefa e, até mesmo, horários reservados para compromissos pessoais).

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Memes e piadas sobre Home Office

A pandemia de Coronavírus obrigou diversas cidades brasileiras e estados a decretarem quarentena, obrigando as pessoas a ficarem em sua casa. Com isso, as empresas foram obrigadas a fechar, migrando rapidamente seus funcionários para o home office. Automaticamente começam a pipocar memes e piadas sobre esse assunto nas redes sociais.










segunda-feira, 27 de abril de 2020

Seis Mitos do Home Office

Eu estava lendo uma reportagem na Forbes sobre o porquê gestores tem medo do trabalho remoto, e o artigo trás uma lista bem legal de mitos relacionados ao trabalho remoto:
  1. "Minha equipe só quer trabalhar remotamente para poder trabalhar na praia" - embora o home office permita um melhor balanceamento entre a vida pessoal e profissional, esse medo não faz sentido. Ninguém vai abandonar suas casas e fugir para a praia. Mas, mesmo que isso aconteça, o importante é que o profissional trabalhe suas horas que tem direito e, principalmente, cumpra suas metas. O artigo também cita uma estatística que as empresas economizam, em média, 11 mil dólares ao ano, por empregado, em função de menores custos operacionais (imagina o quanto a empresn não economiza em infra-estrutura de escritório) e em aumento de produtividade;
  2. "Se eu deixar um funcionário trabalhar remotamente, terei que deixar todos trabalharem remotamente" - Nem todas as funções permitem trabalho remoto. É muito comum as empresas terem um cenário híbrido, aonde algumas áreas trabalham predominantemente no escritório e outros times trabalham remoto. Além do tipo de função, é comum também a decisão pelo trabalho no escritório ou remoto depender da capacidade do gestor em gerenciar seu time;
  3. "Minha empresa perderá credibilidade ou prestígio sem um espaço de escritório para reuniões com clientes" - Ter sua equipe remota não impede a empresa de manter um escritório físico. Por exemplo, mesmo empresas em que a grande maioria dos funcionários trabalhem remotamente podem manter um escritório com, pelo menos, salas de reunião, um ambiente para receber clientes e fazer demonstrações de produtos e serviços, e também uma área de escritório rotativo, aonde as mesas ficam livres para os funcionários que desejarem ou precisarem aparecer para trabalhar por lá. Além do mais, uma boa empresa precisa ter um ótimo produto e excelente atendimento ao cliente;
  4. "As promoções são instintivamente baseadas na visibilidade; portanto, se os membros da minha equipe trabalharem fora do escritório, estarão sacrificando o crescimento da carreira" - Empresas que possuem uma cultura de trabalho remoto devem basear seus critérios de avaliação, mérito e promoção com base em resultados, não em horas-bunda na cadeira. E, para isso, é necessário ter um processo maduro de acompanhamento de metas e análise de performance. Na verdade, isso é o ideal para qualquer empresa, não apenas as que tem trabalho remoto. É uma questão de maturidade da organização;
  5. "Preciso da minha equipe por perto, caso precise urgentemente falar com eles" - É possível trabalhar remotamente de forma colaborativa, não é necessário ter um clima de isolamento entre o time. Para isso, é importante ter meios de comunicação disponíveis entre os times, além de reuniões e encontros periódicos;
  6. "Se os funcionários trabalharem remotamente, eles serão distraídos com limpeza, crianças e viagens, e nunca realizarão nenhum trabalho" - Na verdade, qualquer ambiente de trabalho, no escritório ou em casa, tem suas distrações. No escritório, por exemplo, tem a pausa do cafezinho, do banheiro, do bate-papo, e tem os deslocamentos entre salas de reunião. As distrações, quando bem controladas, não são um problema, e podem ser vistas como uma pausa breve para descanso ou refrescar a mente.

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Estatísticas de Home Office

Eu fiz uma coletânea de estatísticas interessantes sobre a adoção de trabalho remoto, com dados recentes (a partir de 2017).
  • Em 2017, 3,4% do total da força de trabalho total dos EUA são trabalhadores remotos;
  • O número de pessoas que trabalham remotamente nos EUA aumentou 159% entre 2005 e 2017;
  • 30% das pessoas relatam trabalhar remotamente em tempo integral, 18% trabalham remotamente uma a três vezes por semana;
  • 18% dos executivos trabalham remotamente mais do que no local;
  • Se pudessem, 99% das pessoas optariam por trabalhar remotamente, pelo menos em período parcial, pelo resto de suas carreiras;
  • 72% dos profissionais de RH concordam que a flexibilidade do trabalho é muito importante para o recrutamento;
  • 40% das pessoas dizem que um horário flexível seria a melhor vantagem de trabalhar remotamente;
  • 77% dos funcionários remotos dizem que são mais produtivos quando trabalham em casa;
  • 76% preferem evitar o escritório completamente quando precisam se concentrar em um projeto;
  • 23% dos trabalhadores remotos dizem que trabalham mais horas do que no escritório;
  • 84% dos funcionários remotos preferem trabalhar em casa, embora o trabalho remoto permita que trabalhem em qualquer lugar;
  • 54% dos trabalhadores dizem que mudariam de emprego para optar por trabalhar remotamente;
  • Dados de trabalhadores assalariados nos EUA, em 2017 e 2018:
    • 36 milhões de trabalhadores (25%) às vezes trabalhavam em casa; 
    • Entre os que trabalhadores que trabalham em casa, 24% o fazem por preferência pessoal, 23% para adiantar o trabalho, 22% por causa de necessidades pessoais ou familiares e 16% porque foi exigido pelo trabalho;
    • Trabalhadores com educação avançada são mais propensos a trabalhar em casa: 47% daqueles com diploma de bacharel ou superior, e apenas 9% dos trabalhadores com ensino médio e 3% dos trabalhadores com menos do que o ensino médio (entre aqueles com idade igual ou superior a 25 anos);
    • 51% dos trabalhadores em cargos de gestão, negócios e finanças trabalham em casa, pelo menos esporadicamente. Esses trabalhadores são mais propensos a trabalhar em casa do que os demais cargos.

Fontes:

segunda-feira, 20 de abril de 2020

A vila de pescadores

Lendo um artigo sobre como adaptar os times remotos para o trabalho de casa durante a pandemia do COVID-19, eu vi uma metáfora bem legal, chamada "A Vila dos Pescadores".
"Eu uso uma antiga vila de pescadores como uma metáfora para a organização virtual. À noite, os pescadores se reúnem para socializarem e se divertir. Mas todas as manhãs antes do amanhecer, cada um sai para o mar sozinho em seus pequenos barcos de pesca. Eles podem permanecer em contato via rádio, mas cada pescador está por sua conta. Há pouca ajuda direta que eles possam oferecer um ao outro. Não há volta até que peixes suficientes tenham sido pescados. Mas uma vez que eles voltam, eles estão juntos se divertindo novamente. A organização totalmente remota é assim. Cada funcionário está sozinho em seu barco, trabalhando até que o trabalho esteja concluído. De vez em quando, a empresa reúne todos em um só lugar e para se socializarem e compartilhar histórias de pesca."

O original, em inglês, é o seguinte:
"I use an ancient fishing village as a metaphor for the virtual organization. In the evenings, the fishermen get together to be social and have fun. But every morning before dawn, they each head out to sea alone in their individual small fishing boats. They can stay in radio contact with each other, but each fisherman is on his own. There is little direct help they can offer each other. There is no coming back until enough fish have been caught. But once they get back, they are together having fun again. The all-remote organization is like this. Each employee is alone in their boat, working until the work is done. Every now and then, the company brings everyone together to one place and there is time to be social and share fishing stories."
PS: Foto de Tony Pham on Unsplash.